A Íris agora escreve no blog Arco-Íris da Íris, em http://arcoirisdairs.blogspot.com/

sábado, 8 de agosto de 2009

Último dia de férias – parte 1

[Este conto é a tão esperada resposta ao conto do xdanx, A Rapariga na praia! - ArcoIris é delííícia. (cliquem no título para lerem o conto). Dividi em dois para não ficar muito grande. Não se esqueçam de ler a segunda parte.]


Na praia

Nos dias seguintes Eduardo tentou contactar-me ligando para o hotel, mas eu saía bem cedo para conhecer a cidade. No meu último dia em Maresias decidi deixar recado na recepção dizendo que se ele voltasse a ligar a moça dizer que eu estava na praia onde nos conhecemos, junto à rocha.

Fui para a praia, biquíni bem pequeno, pele queimada, bem que podia ser confundida com uma brasileira. Cheguei na praia, fui dar um mergulho e quando voltei para a toalha reparei que Eduardo estava chegando.

- Oi! Finalmente hein?! Pensei que já não queria me ver!

- Tirei uns dias só para mim... Fui conhecer a cidade!

- Acompanhado é bem melhor, viu?

Eu não respondi, sentei na minha toalha e olhando para ele desapertei a parte de cima do meu biquíni.

- Aqui pode-se fazer topless?

- Você está no Brasil, pode fazer tudo! – disse Eduardo enquanto me via destapar os seios.

Deitei na toalha, de barriga para cima tomando sol. Eduardo estendeu a toalha dele bem junto da minha e se deitou também, mas de barriga para baixo.

- Quando posso tirar mais fotos a você?

- Eu vou-me embora amanhã! Agora fotos só se fores a Portugal!

- Ainda temos o dia de hoje…

- Quem sabe...

- Você é safada mesmo né? Não abre o jogo...

Dei uma risada e disse de modo bem safado:

- Há coisas bem mais interessantes para fazer que tirar fotos!

Eduardo nem respondeu... Senti uma de suas mãos percorrer minha coxa, passando de leve pela minha xaninha, depois por minha barriga até chegar nos meus peitos desnudos.

- É! Há coisas bem mais interessantes, você tem razão! – disse Eduardo enquanto passava a mão nos meus seios. Senti um leve apertão no mamilo e isso me excitou bastante. A ideia de estar sendo acariciada por um brasileiro quase desconhecido, no meio na praia me excitou ainda mais e pedi a Eduardo que se virasse para cima. Ele virou e eu levei minha mão directa no pau dele. Já estava ficando duro, acho que estava pensando no mesmo que eu. Estávamos os dois excitados, no meio daquela praia cheia de gente por todo o lado.

Eduardo desceu a mão até minha bucetinha e passou um dedo por cima do biquíni. Não dava para perceber por causa do molhado da água, mas minha xana estava molhadinha com meu mel também. Eduardo começou um vaivém com o dedo na minha virilha. Eu estava farta de sentir o pau dele por cima do calção de banho e meti minha mão dentro. Senti o pau dele já bem duro e comecei a punhetar por baixo do calção. Eduardo aumentou a velocidade do vaivém do seu dedo, mas em direcção ao reguinho da minha buceta. Me imitou e enfiou sua mão por baixo do meu biquíni minúsculo. Aí sim conseguiu sentir meu mel escorrendo.

- Vamos ficar aqui? Não quer ir no meu apartamento de novo?

- Não, prefiro ficar aqui a apanhar sol!... – disse eu sacaneando ele.

Eduardo aceitou a sugestão e enfiou o dedo na minha xana... Nunca me imaginei apanhando sol no Brasil enquanto um cara enfiava um dedo na minha xana e eu o punhetava! Ficamos assim um tempo, aí pensei que tinha de retribuir aquele dedo maravilhoso, me sentei, tirei o pau dele para fora e comecei chupando. Reparei que Eduardo olhou em volta, talvez com receio que alguém estivesse olhando, mas eu tinha feito isso antes de abocanhar aquele caralho delicioso.

Tinha finalmente o pau do Eduardo todo na boca e comecei a passar língua dentro da minha boca. Eduardo geme baixo mas eu consigo ouvir seu gemido no meio de tanto som naquela praia. Tirei o caralho dele da minha boca e pude ver que a cabecinha estava bem vermelha e deliciosa... Comecei a chupar ela, apertei um pouco e chupei aquele suco lubrificante maravilhoso. Me pus numa posição em que Eduardo conseguisse chegar na minha xana e ele voltou a alisar minha xana cada vez mais melada. Voltou a enfiar um dedo nela, num vaivém bem frenético e delicioso.

Enquanto isso eu passava minha língua a todo o comprimento do caralho do Eduardo, até as bolas. Meto-o de novo na boca e ele, com a mão livre, segura meus cabelo e começa socando na minha boca. Eduardo avisou que ia gozar e eu tirei o caralho da boca e direcionei nos meus seios, comecei punhetando Eduardo até ele gozar. Senti aquele gozo quente escorrer pelos meus seios duros e continuei chupando ele para tirar o resto do gozo.

- Você é mesmo uma putinha safada viu?

Eu não respondi, me levantei e disse:

- Tens carro?

- Tenho! – disse ele.

- Então passa as 7 horas na porta no meu hotel. Escolhe o melhor restaurante da região. Nós vamos jantar lá! Até logo gato! – dito isto virei costas e fui-me banhar no mar. Ainda vi o Eduardo ir embora, e só depois voltei para a toalha.

(continua...)

5 comentários:

xdanx disse...

como sempre, um TESÃO!
dificil nao bater uma punheta bem gostosa pensando em suas palavras...

te adoro!

Kátia disse...

humm...

com já te disse, sexo na praia deve ser bom demais!
Ainda vou numa daquelas maravilhosas praias nordestinas e me divirto, rs

bjos

Optimus Eros disse...

humm!!! eu já te disse que olhar essas fotos, ler seus textos e te imaginar é uma delícia??
rsrrs

Íris disse...

Já sim! rs!

Beijo!

Optimus Eros disse...

rsrsr...eu adoria te pegar assim como nessa foto...estar atrás de vc...vc ainda não me tinha dito...mas espero saber mais sobre o que vc tem a dizer...te respondi com um post entitulado "Da Íris..."
rsrs