A Íris agora escreve no blog Arco-Íris da Íris, em http://arcoirisdairs.blogspot.com/

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Uma surpresa maravilhosa

Depois da noite fantástica que tive com o Filipe (acreditem que apesar da idade ele sabe muito bem o que faz) acordámos e tomámos banho juntos, claro que ele me comeu mais uma vez, e desta vez eu bebi o leitinho todinho dele. Fomos cada um à sua vida: eu para a faculdade e ele para a escola dele. Ao longo do dia recebi várias mensagens dele no telemóvel dizendo que tinha adorado aquela noite, que queria repetir etc…

À tarde quando cheguei a casa meu menino estava lá, mas não estava sozinho. Sentada ao lado dele estava uma moça, pela cara percebi que eram da mesma idade. Ela tinha longos cabelos encaracolados loiros, pele clara, muito bonitinha mesmo. Ela ficou envergonhada quando eu entrei, pois estavam-se beijando. No entanto Filipe sorriu para mim. Eu fiquei indignada. Era preciso muito descaramento para levar a rapariga para minha casa e ainda ficar namorando no meu sofá! Chamei o Filipe para a cozinha e preguei sermão nele.

- Calma!... Não precisas ficar com ciúmes!

- Não são ciúmes! Só acho muita cara de pau trazeres a tua namorada para minha casa!

- A Rita não é minha namorada!... É só uma curte!... Aliás… Eu trouxe-a para cá porque preciso da tua ajuda!

- Da minha ajuda?... Como assim?

- Eu há uns tempos que quero comer a Rita, mas soube que ela é virgem!

- E o que é que eu tenho a ver com isso?

- Ela só precisa de um empurrãozinho para me deixar comê-la! E és tu que vais dar esse empurrãozinho!

- Eu???

- Sim… Eu não consigo quebrar o gelo com ela! Mas tu podes tentar!

- Resumindo: queres que eu te ajude a comeres a miúda?...

- Sim linda! – ao dizer isto Filipe puxou-me para ele e me beijou. Sem perder tempo começou desabotoando minhas jeans e pondo a mão dentro de minhas calcinhas. Não consegui resistir e deixei-me ir. Filipe puxou a minha blusa para cima e tirou meus peitos para fora do sutiã e começou chupando eles bem gostoso. Eu dei uma gemidinha no ouvido dele e aproveitei para morder a orelha dele. Percebi que Filipe já tinha o pau meio duro, resultado talvez dos amassos com a Rita. Comecei punhetando ele até que ficou bem duro. Filipe me virou de costas para ele e eu me encostei na mesa da cozinha. Filipe desceu de vez minhas jeans e minhas calcinhas e sem muita cerimónia cuspiu no meu cuzinho e enfiou a cabeça do seu pau no meu buraquinho enquanto apertava meus mamilos. Eu não aguentei e comecei a gemer gostoso. Filipe socava com alguma força e eu estava adorando. Era de esperar que os nossos gemidos se ouvissem na sala e não tardou muito que a Rita fosse até à cozinha. Eu fiquei uma pouco desconfortável, mas não notei qualquer vacilo no Filipe que continuou a comer o meu cuzinho. Rita ficou estática a olhar para aquela cena. Filipe deitou-se sobre o meu corpo e disse no meu ouvido:

- É a altura perfeita para atacares bebé!

Eu olhei para a Rita e sorri (sabe aquele sorriso de prazer?). Percebi que ela ficou um pouco constrangida e antes que ela fosse embora Filipe tirou o pau do meu cu e eu fui ter com ela à sala. Não sabia o que dizer, mas nem foi preciso dizer nada…

- Aquilo é mesmo bom?! Como parece?

Surpreendi-me com a frontalidade dela.

- Sim! É óptimo! Tu nunca deste o cu a ninguém? – fingi que não sabia que ela era virgem.

- Não!... Eu sou virgem!... Antes de chegares o Filipe estava a tentar convencer-me a…

- Não tens curiosidade? Posso ajudar-te! – ela me perguntou como e eu, como resposta me aproximei dela e comecei passando a mão nos cabelos e no pescoço dela – Digamos que posso ser uma espécie de professora!... – cheguei mais perto dela e aproximei meus lábios do pescoço dela. Como ela não contestou eu prossegui e beijei-a no pescoço e no pouco decote que tinha. Filipe entrou na sala nessa altura. Eu conduzi Rita até ao meu quarto e Filipe nos seguiu pouco depois. Eu estava sem calças nem calcinha e acabei de tirar minha blusa, soltando os meus peitinhos que continuavam para fora do sutiã que tirei também. Filipe me abraçou por trás e ao mesmo tempo que beijava meu pescoço alisava minha xaninha e eu o punhetava. Percebi que Rita se começava a excitar pois sua respiração começou a ficar mais forte, apesar de não se mexer. Afastei-me do Filipe, que se sentou num pequeno sofá no meu quarto, e me aproximei da Rita dando-lhe um longo beijo que ela depois acabou por corresponder. Enquanto isso Filipe batia uma punheta nos vendo. Conduzi Rita para se deitar na minha cama e ela deitou. Me deitei por cima dela sempre beijando-a. Fui descendo, passando por seus peitinhos e parando no seu umbigo. Tirei a blusinha dela e segurei seus peitos e beijei por cima do sutiã que acabei por tirar rapidamente para poder chupar eles como deve ser (tomei o gosto com a Ana! rsrs) enquanto ela soltava gemidos baixinhos. Quando me satisfiz de seus peitinhos durinhos e de bicos rosadinhos voltei a descer rumo ao seu umbigo. Abri as calcas delas e tirei de vez com as calcinhas. Rita estava sem dúvida gostando. Abri as pernas da menina e passei um dedo no seu clítoris que fez ela estremecer e soltar um gemido mais forte.

Filipe gozou nesse momento. E eu deixei Rita na cama para poder aproveitar a porra do menino. Limpei seu pau e beijei ele. Voltei de novo para Rita e caí de boca na bucetinha da menina, lambendo, chupando e dando umas mordidinhas leves. Rita gemia agora alto e isso fez com que o pau de Filipe endurecesse de novo. Depois de um tempo chupando ela finalmente gozou e eu lambi tudinho. Filipe levantou e me beijou para sentir o sabor da xana da Rita, voltando a sentar depois. Eu subi e beijei Rita na boca, empinei meu cuzinho e chamei Filipe para comer minha xana que estava coladinha com a xana da Rita. Ele obedeceu e socou forte em mim roçando na xana da menina que enlouquecia revirando os olhos.

- Eu também quero!... Come-me!... Eu quero!... Eu querooooo…. – gritou Rita de puro prazer. Filipe nem pensou duas vezes e tirou o pau da minha buceta. Aproveitou meu gozo e esfregou a cabecinha de seu pau na entradinha da Rita. Forçou mais um pouco e eu beijei ela para compensa-la da dor. O pau de Filipe entrou todinho e a menina não parava de me beijar eu correspondia. Desta vez era eu que sentia o roça roça na minha xana. Não tardou Rita gozou de novo, a dor inicial tinha passado e agora toda ela tremia de prazer enquanto Filipe socava nela e eu continuava no meio dos dois chupando os peitos deliciosos daquela menina que eu tinha ajudado a tirar o cabacinho.

Filipe anunciou que ia gozar e tirou o pau da buceta da menina. Eu deitei ao lado dela e Filipe apontou o caralho para minha boca e começou a esporrar aquele leitinho maravilhoso. Acho que Rita ficou com inveja pois assim que eu engoli tudo e ia para limpar o pau dele, Rita abocanhou ele antes de mim e o limpou todinho. Olhei para o lençol e vi uma mancha de sangue.Me levantei e beijei Filipe, avisando que ia tomar duche sozinha e que eles estariam à vontade. Eles não se fizeram de rogados pois se comeram de novo enquanto eu estava no duche.
Depois disso Rita foi para casa, nunca mais a vi, já lá vai uma semana depois do que relatei. Mas sei que Filipe se anda preparando para comer o cuzinho dela pela primeira vez! Quanto ao Filipe, continuamos a nos encontrar sempre que ele quer tranzar com uma mulher! E acho que vai ser assim durante algum tempo, pois eu adoro tranzar com aquele menino.

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito bom mesmo... seus contos e relatos são sempre muito inspiradores e envolventes... adoro todos...
bjos... vc sabe de quem... rsrsrs

... disse...

Novamente me deixando de pau duro né menina rs... parabéns este conto esta uma safadeza danada, muito bom!!

SrContos

Anónimo disse...

esse realmente superou!! ótimo e "caliente"....O Leitor-Brasil